Ar

A qualidade do Ar em ambientes climatizados certamente faz a diferença

Nos últimos anos a comunidade científica tem encontrado evidências que a qualidade do ar de ambientes climatizados pode ser pior do que do ar externo. Essa qualidade está diretamente ligada a poluentes emitidos por diversos fatores como ventilação inadequada, falta de manutenção nos equipamentos e a inexistência de análise do ar de ambientes climatizados.

A exposição prolongada em ambientes com ar poluído pode trazer diversos riscos à saúde, principalmente em crianças e pessoas com problemas respiratórios e cardiovasculares. A Resolução 09 de 16 de janeiro de 2003 da ANVISA aplica-se aos ambientes climatizados de uso público e coletivo já existentes e aqueles a serem instalados e complementa a PORTARIA Nº 3.523, DE 28 DE AGOSTO DE 1998 que estabelece os critérios para manutenção dos sistemas climatizados.

Para empresas que operam com capacidade de climatização acima de 60.000 BTUs é necessário a criação do Plano de Manutenção Operação e Controle (PMOC), mantendo um responsável técnico para realização deste controle que deverá solicitar a análise da qualidade do ar climatizado semestralmente.

Pesquisa e contagem de fungos – Atentando que é inaceitável a presença de fungos patogênicos e toxigênicos
Dióxido de carbono – Para avaliar se o sistema é capaz de realizar a renovação do ar.
Determinação de temperatura, umidade e velocidade do ar – Assegurando o conforto térmico dos ocupantes.
Aerodispersóides totais – Poeira total